Casa da Arte / Fora do sério
Ribeirão Preto, SP

A história do Fora do sériO pode ser ilustrada a partir dos espaços que o grupo ocupou.  Em cada lugar um trabalho, um grupo de pessoas distinto, mas uma inspiração permeou toda a trajetória e ainda evoca a continuidade rumo ao futuro.

O início do Fora do sériO está localizado em Campinas-SP, 1988, através de um projeto-montagem da diretora e pesquisadora Neyde Veneziano sobre a commedia dell’arte, através do espetáculo Arlecchino, de Dario Fo.  O elenco fazia parte da primeira turma de Artes Cênicas da Unicamp e os estudos para o espetáculo marcaram definitivamente os integrantes do grupo: commedia dell’arte e máscaras.  A continuidade do trabalho deu-se através de uma criação coletiva, “Aqui Não, Pantaleão!”, onde o grupo quis conhecer o local de origem da commedia dell’arte – a rua, as praças, os espaços abertos, visto que o primeiro espetáculo era apresentado em palco.  Até o término do curso de graduação, várias apresentações em diversos festivais do país colocaram o Fora do sériO em contato com grandes grupos consolidados no país, Galpão, Imbuaça, Sobrevento, Tá na Rua, ... , e o grupo peruano Yuyachkani, que com seu exemplo de organização, luta política e qualidade artística, inspirou no Fora do sériO a realização do I e II Encontros de Teatro de Grupo em Ribeirão Preto-SP, em 91 e 93.  “O Asno”, de Dario Fo, com 3 montagens em períodos diferentes do grupo, montado para a rua, define uma fase de intenso contato popular.

O Edifício Diederichsen em Ribeirão Preto-SP foi o local escolhido para acolher o Fora do sériO.  Vários artistas já participaram e deram sua contribuição em muitos anos de trabalho que principalmente contribuiu para a transformação artística da cidade e região.  Permanecer no interior e não numa capital influi decisivamente na produção artística.  “Helênica” é um espetáculo que marca este período, por constituir-se de um entrelaçamento de poesia, dança e música.  A preparação dos atores do Fora do sériO sempre deu-se, por inspiração das trupes, pelo desenvolvimento de habilidades que permitem o diálogo de linguagens.

A Casa da Arte, atualmente a sede do grupo, abriga o atelier de Jair Correia.  O diálogo com o artista plástico e mascareiro possibilitou um desenvolvimento significativo da linguagem da máscara.  O espetáculo “O Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente, é um marco no alcance que esta linguagem pode proporcionar.

Ao longo de seu percurso, alguns integrantes e colaboradores do Fora do sériO ingressaram como docentes no Curso de Artes Cênicas do Centro Universitário Barão de Mauá, o que permitiu que novos artistas se formassem, novos grupos de teatro na cidade surgissem. 

Desde o início de 2009, o Fora do sériO lançou-se em núcleos de pesquisa, tanto para refletir sobre a trajetória realizada, como para redescobrir caminhos artísticos.

Dados da Instituição
Tipo:
Grupo
Ano de Fundação:
1988
Telefone:
16 3617.8342
Celular:
16 8225-9298
E-mail:
foradoserio@uol.com.br
Cidade:
Ribeirão Preto
Estado:
SP
Integrantes/sócios:

   Míriam Fontana, Jair Correia, Tania Alonso, André Cruz, Fabricio Papa e Luis de Toledo

Dados do Responsável
Nome:
Miriam Fontana e Jair Correia
Função na Instituição:
Diretores
Telefone:
16 3617 8342
Celular:
16 8225 9298
E-mail:
foradoserio@uol.com.br
Perfil da Instituição
Vinculada a entidade / associação:
Não
Publicações da Instituição:
Revista Máscara nº 1 e 2
Forma de acesso as publicações:
Esgotadas (pretendemos publicá-la digitalmente)
Como adquirir produtos da Instituição:
Por email.
<< Voltar
Centro de Pesquisa e Memória do Teatro do Galpão Cine Horto - Rua Pitangui, 3613 - Bairro Horto - Belo Horizonte - MG
Tel: 31 3481.5580 - portalprimeirosinal@gmail.com
---------------------------
Os créditos das fotos do cabeçalho se encontram na seção Quem Somos.
Facebook Twitter